Buscar
  • agenciamade

PREFEITO DEIXA MAIS DE DOIS MILHÕES PARA SEU SUCESSOR E ADVERSÁRIO POLÍTICO


Em tempo de crise, demissões, quebra de compromissos básicos, e limitação de recursos, uma prefeitura do interior do Rio Grande do Norte encerra 2016 indo de encontro a uma realidade generalizada. Encravado no Médio Oeste Potiguar o município de Campo Grande começará o ano com dois milhões, cento e quarenta e um mil, trezentos e trinta e quatro reais e sessenta e quatro centavos guardados nas contas da prefeitura. Ex-executivo da Cosern, Francisco das Chagas Eufrásio, o Bibi de Nenca, cumpriu oito anos de mandato após suceder o então prefeito Edilberto Almeida, o Bebeto. A atual condição financeira do município no fim de 2016 foi oficialmente informada ao Ministério Público, Tribunal Regional Eleitoral e à Paróquia de Sant´Anna. O mais curioso se volta para o fato de que o atual prefeito, Bibi de Nenca, ser adversário do seu sucessor, Manoel Veras. O candidato apoiado por Bibi, Grimaldo Gondin, perdeu a eleição por uma diferença de 51 votos. Desde ontem, além de assumir o comando da prefeitura de Campo Grande, o prefeito Manoel Veras recebeu um caixa de R$ 2,14 milhões, o que favorecerá um início de mandato diferenciado, não apenas para a realidade do Rio Grande do Norte, mas para todo o País.


1 visualização